21 de novembro de 2015

De barriga cheia

Barriga. Assunto complicado. Fala-se muito dela, mas de forma francamente opressiva. Os agentes que querem ganhar dinheiro a vender dietas ou exercícios, ou mesmo curas milagrosas, referem-se à barriga em termos muito depreciativos. Compreende-se, porque é no envergonhar do utente da barriga que reside o seu possível ganha-pão.

Há também os privilegiados com corpos esbeltos, que mencionam com desprezo os seres inferiores que carregam nos seus corpos o estigma. Como a maioria das elites, a pertença ao privilégio raramente resulta de algum mérito. É sorte, os genes certos ou simplesmente juventude.