14 de junho de 2008

A minha Pietà

Tinha pensado fazer disto um óleo, mas vou começar por uma ilustração digital. Há muito que este tema anda na minha cabeça: a velha Pietà de Miguel Ângelo, mas sem o filho ser deus e a mãe ser santa. A velha tragédia num olhar mais humanizado, servida pelos meus parcos recursos.


Primeiro esboço. Visualizar no tamanho real

Vou publicando os esboços e continuar pelas diversas fases de acabamento. Por fim, eventualmente farei o óleo. Este é o primeiro esboço.

Gosto da mãe, está dinâmica e expressiva. O filho terá de ser redesenhado, pois não há forma de a cabeça dele estar amparada pelo braço dela. Tenho de fazê-lo semi-reclinado.

O cenário que surgiu na minha cabeça é este. Poderá ser Colômbia, Bolívia, Brasil, não interessa. Não é uma afirmação política. Se o fizesse no mundo árabe ou em África, teria tendência a ser visto como um tomar de partido em conflitos locais. Fugi daí porque quero dizer: qualquer mãe, qualquer filho, em qualquer parte do mundo.

2 comentários:

  1. Olá Carlos,

    Gosto imenso deste tipo de ilustração!

    Estou a adorar o blog.
    Continue a melhorar como até agora, porque eu estou atenta!

    beijinhos e abraços,
    Sofia

    ResponderEliminar
  2. Olá Carlos,
    ontem fiquei cheia de curiosidade e resolvi espreitar a famosa pietà ...

    Confesso que fiquei presa à imagem da mae, mas sinto que falta ali qualquer coisa, uma coisa minima, um toque/pormenor, mas mesmo muito pequenino, só ainda não descobri o que é... mas também quem sou eu que não percebo nada de arte!

    Gostei muito do 1º esboço e sei que no final vamos ter aqui uma verdadeira obra de arte!!! Agora é continuar com muita força e dedicação.

    Beijinhos, Patrícia

    ResponderEliminar

Comente, mesmo que não concorde. Gosto de palmadas nas costas, mas gosto mais ainda de polémica. Comentários ofensivos ou indiscretos podem vir a ter de ser apagados, mas só em casos extremos.