8 de dezembro de 2013

O fim do gene egoísta?


PZ Myers, Jerry Coyne e Richard Dawkins

Três dos meus biólogos e comunicadores preferidos encontram-se em polémica. Trata-se de PZ Myers, da Universidade de Minesotta Morris, com o blogue Pharyngula; Jerry Coyne, da Universidade de Chicago, com o blogue Why Evolution Is True; e o célebre Richard Dawkins, com, entre outros areópagos, a sua Richard Dawkins Foundation for Reason and Science. O que está em discussão é a possível morte, ou não, do conceito de gene egoísta.

21 de julho de 2013

Manual do Amigo IV

Kate Donavan costumava blogar hospedada no blogue de Ashley Miller nos Freethought Blogs, mas recentemente ganhou a sua própria tribuna nesse portal, Gruntled and Hinged. A sua escrita incide principalmente sobre questões de doença mental, dos direitos e problemas das pessoas afligidas com elas e problemas éticos relacionados com estas questões. Sabe do que fala, sendo ela própria uma resistente de um caso grave de anorexia, em recuperação. Este Manual do Amigo que resolvi traduzir parece-me bastante útil a quem quer que seja que queira ajudar alguém com problemas mentais. Até com pequenas diferenças, serve também para quem quer ajudar alguém simplesmente doente.

Tal como no original dela, o Manual fica dividido em quatro posts:

Manual do Amigo I

Manual do Amigo II

Manual do Amigo III

(Os links do texto são os mesmos do original e referem-se a artigos em inglês)

Manual do Amigo IV

Esta parte provém de vocês – dos comentários brilhantes às partes I, II e II da série Manual do Amigo. Fizeram-me pensar em coisas novas, deram voz a coisas que andavam a pingar na minha mente e, no caso deste comentário de tolladay, fizeram-me chorar inesperadamente sobre o meu portátil.

Cá vão então, as contribuições dos meus co-comentadores.

15. Conselhos sem ser pedidos são horríveis

(De Ashley, ela própria)

Por favor, não me digam que espécie de remédios são bons/maus, que tipo de terapia é boa/má e como é que eu devo enfrentar as coisas A NÃO SER que eu peça conselho sobre isso. Se eu me queixar de depressão, dor de cabeça, uma reacção alérgica, um ataque de pânico ou stress pós-traumático, a resposta correcta não é 'Porque é que não estás a tomar o [MEDICAMENTO]?' ou 'Porque é que não te trataste disso ainda?', ou alguma das outras tentativas de ajudar que dão a entender que sabes mais da minha vida e condições do que eu”.

Mesmo que tenhas as melhores intenções possíveis, não faças isto. Consegue-se sempre parecer a pior mistura de antipático e intrometido. Se não te consegues conter com o teu Santo Graal médico, começa com: “Sou capaz de ter uma sugestão; Estás interessada?”.

Manual do Amigo III

Kate Donavan costumava blogar hospedada no blogue de Ashley Miller nos Freethought Blogs, mas recentemente ganhou a sua própria tribuna nesse portal, Gruntled and Hinged. A sua escrita incide principalmente sobre questões de doença mental, dos direitos e problemas das pessoas afligidas com elas e problemas éticos relacionados com estas questões. Sabe do que fala, sendo ela própria uma resistente de um caso grave de anorexia, em recuperação. Este Manual do Amigo que resolvi traduzir parece-me bastante útil a quem quer que seja que queira ajudar alguém com problemas mentais. Até com pequenas diferenças, serve também para quem quer ajudar alguém simplesmente doente.

Tal como no original dela, o Manual fica dividido em quatro posts:

Manual do Amigo I

Manual do Amigo II

Manual do Amigo IV

(Os links do texto são os mesmos do original e referem-se a artigos em inglês)

Manual do Amigo III

10. Manias vs. Sintomas

Algumas pessoas têm manias. Só gostam de sandes abertas, assobiam quando andam de bicicleta, odeiam certos sabores ou sons. As idiossincrasias são apenas uma parte de se ser uma pessoa.

As manias, podes brincar com elas. Podes contar aos outros, porque são coisas que nos fazem... nós próprios, como ser ruivo ou roer as unhas. É uma das formas como as pessoas se ligam – as pequenas provocações e brincadeiras.

Nunca trates os sintomas ou pânicos da doença de alguém como manias. Não se tornam menos dolorosos quando são objecto de risota – e torna-se mais difícil falar sobre eles. Fingir o riso é mais fácil do que justificar os nossos próprios medos, no fim de contas.

Se não tens a certeza sobre o que é uma mania e sobre o que está vedado a ser revelado ou gozado, podes... simplesmente perguntar. Se ao perguntar ao teu amigo/a as tuas palavras vão feri-lo/a, então não estás a fazer bem essa coisa da amizade.

Manual do Amigo II

Kate Donavan costumava blogar hospedada no blogue de Ashley Miller nos Freethought Blogs, mas recentemente ganhou a sua própria tribuna nesse portal, Gruntled and Hinged. A sua escrita incide principalmente sobre questões de doença mental, dos direitos e problemas das pessoas afligidas com elas e problemas éticos relacionados com estas questões. Sabe do que fala, sendo ela própria uma resistente de um caso grave de anorexia, em recuperação. Este Manual do Amigo que resolvi traduzir parece-me bastante útil a quem quer que seja que queira ajudar alguém com problemas mentais. Até com pequenas diferenças, serve também para quem quer ajudar alguém simplesmente doente.

Tal como no original dela, o Manual fica dividido em quatro posts:

Manual do Amigo I

Manual do Amigo III

Manual do Amigo IV

(Os links do texto são os mesmos do original e referem-se a artigos em inglês)

Manual do Amigo II

A Parte II do Manual do Amigo é toda sobre como ser um melhor apoio do teu amigo(s/as) com doença mental. Não trata do Que Não Fazer – trata do Que Fazer!

Manual do Amigo I

Kate Donavan costumava blogar hospedada no blogue de Ashley Miller nos Freethought Blogs, mas recentemente ganhou a sua própria tribuna nesse portal, Gruntled and Hinged. A sua escrita incide principalmente sobre questões de doença mental, dos direitos e problemas das pessoas afligidas com elas e problemas éticos relacionados com estas questões. Sabe do que fala, sendo ela própria uma resistente de um caso grave de anorexia, em recuperação. Este Manual do Amigo que resolvi traduzir parece-me bastante útil a quem quer que seja que queira ajudar alguém com problemas mentais. Até com pequenas diferenças, serve também para quem quer ajudar alguém simplesmente doente.

Tal como no original dela, o Manual fica dividido em quatro posts:

Manual do Amigo II

Manual do Amigo III

Manual do Amigo IV

(Os links do texto são os mesmos do original e referem-se a artigos em inglês)

Manual do Amigo I

Sou amiga de algumas pessoas maravilhosas e brilhantes com doenças mentais. Também tive as minhas próprias experiências com falhanço cerebral persistente, e tive alguns amigos realmente fantásticos que apareceram, me abraçaram e me aturaram a conversa durante as piores noites, e também sabem que quando eu digo que não me sinto bem e que preciso de espaço... preciso mesmo de espaço já.

4 de junho de 2013

Os GIFs animados

Uma gravura vale mil palavras e uma expressão facial, então…

eyeroll-o

Este estava em www.gifsoup.com na secção Eyeroll, que é como quem diz em português, não há pachorra!

31 de maio de 2013

À borliú

Os tempos não estão bons para gastar dinheiro. Quem tem um computador e precisa de trabalhar com ele, a primeira coisa de que necessita é um Office. Muita gente tem umas luzes sobre como trabalhar com o Office da Microsoft e é essa solução que é encarada. Mas o programa custa muito dinheiro.

Então, vá de desinquietar um amigo que tenha algumas luzes de informática, a ver se ele arranja uma versão cracada  dos programas. Mas na verdade, hoje em dia não vale a pena darmo-nos ao trabalho nem ao risco de nos metermos com cópias ilegais. Há alternativas legais grátis.

20 de maio de 2013

Guerra de informação... contra nós!

Já o velho Alvin Toffler tinha dito que agora as armas decisivas dos conflitos seriam não bombas mas informação. Há muito que assistimos a isso, mas o público não percebeu ainda bem. Continua a ver TV, ler jornais e a consultar a Internet partindo do princípio que a informação que lá encontra é, essencialmente, desinteressada. Alguma é, mas a maior parte não. E quanto mais pesados os interesses em jogo, mais a informação se transforma em propaganda.

31 de março de 2013

O GRANDE QUESTIONÁRIO DE PÁSCOA

por David Fitzgerald
Responda a este pequeno questionário e vai descobrir que talvez não saiba tanto sobre a Páscoa cristã como pensava.
Esta é a minha tradução em português de um original de David Fitzgerald. publicado em The Skeptic Money sob o título The Ultimate Easter Quiz – Jesus Gets Nailed!. David Fizgerald é meu amigo no Facebook, mas mais importante que isso, é um historiador e tem-se dedicado a investigar alguns dos mitos religiosos mais 'sagrados'. Meteu-se com os mórmones e os cristãos. O seu último livro chama-se Nailed: Ten Christian Myths That Show Jesus Never Existed At All.

28 de março de 2013

Instrumentos de poder

Em antigos tempos, os poderosos lutavam entre si pelo poder utilizando como armas o maior número possível de súbditos dispostos a sacrificar as vidas pela fortuna dos amos. Como os exércitos de escravos nunca tiveram sucesso, excepto como remadores nas galés ou esporadicamente quando se revoltavam, não podiam ser usados como ferramentas de luta pelo poder. Restava então aos poderosos coagir de várias formas os seus subalternos e servos a lutar por eles. Promessas de partilha do saque, de partilha da glória, várias formas de pressão ou apenas a tracção das ideias heróicas e religiosas manipuladas por demagogos e sacerdotes arrastavam os simples para o matadouro.

3 de janeiro de 2013

Eu ganho mais dinheiro que ele!

Libby Anne é uma bloguista americana que conta, no seu blogue Love, Joy, Feminism, uma experiência pessoal extraordinária. Foi criada nas profundezas das seitas mais radicalmente fundamentalistas, em que os homens detêm autoridade absoluta sobre as mulheres, estas devem ficar em casa e ter o maior número de filhos possível, os quais devem ser educados em casa, à espera da segunda vinda de Cristo — mas rompeu com todas essas ideias e hoje é ateia e feminista. O seu blogue procura ajudar as pessoas que fogem desses cultos estranhos e opressivos. Resolvi traduzir este artigo, pela sua clareza e atualidade, mesmo no nosso contexto. Link do texto original: “I Make More Money Than He Does”

O blogue de Libby Anne faz parte da divisão ateia do portal Patheos, um local vocacionado para o debate de assuntos filosófico-religiosos.