2018-12-14

Venda de (parte de) João Crioulo, de 12 anos

Documento da Biblioteca Nacional do Brasil, em formato digital. Trata-se da escritura da venda de uma criança, como uma mercadoria. A sua posse como escravo era repartida entre um casal e a viúva do pai do marido, porque o tinham herdado. A data é 1864.

Escriptura de compra e venda de uma parte do escravo João, que passão Galdino José Golçalves e Anna Fermina Gonçalves ao capitão Martiniano da Silva Reÿs Brandão, como abaixo declara:

Saibam quantos esta virem que no Ano do Nascimento de Nosso Senhor Jesus Christo de mil oitocentos e cecenta e quatro aos oito dias do mez de outubro do dito anno nesta Freguezia do Espirito Santo da Mutuca do termo da cidade de Campanha Minas e comarca do Rio Verde em meo cartorio comparecerão prezentes Galdino José Gonçalves e Anna Fermina Gonçalves como outorgantes vendedores e José Bernardo Ximenes (?) como procurador do outorgante digo do outorgado Martiniano da Silva Reys Brandão pelos poderes da procuração que vai ao diante copiada, todos moradores na Freguezia da cidade de Campanha e reconhecidos de mim assinaram pelos próprios que dou fé, e pelos outorgantes me foi dito que sendo legitimos senhores e possuidores de uma parte do escravo João Crioulo de idade 12 annos mais ou menos natural da referida freguezia que houveram por herança de seo pay, o fallecido Francisco José Gonçalves em preço de 6:050 mil e tanto tendo sido elle avaliado na quantia de reis 1:300$000 da referida parte fazem venda, e de facto vendido tem de hoje para sempre ao outorgado capitão Martiniano da Silva Reys Brandão pela dita quantia de reis 660$000 livre de siza que receberão do outorgado por mão rifirido procurador José Bernardes Ximenes e dou plena quitação e que na pessoa do outorgado cedem e transferem desde já todo o domínio e posse e o hão por entregue e empossado ainda pela clausula constitutiva ficando o outorgado obrigado ao pagamento da siza e elles outorgantes a fazerem boa esta venda quando aconteça haver qualquer duvida.

Declaram os outorgantes que o referido escravo possuem em sociedade com a viuva do dito seo pay, etc.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Comente, mesmo que não concorde. Gosto de palmadas nas costas, mas gosto mais ainda de polémica. Comentários ofensivos ou indiscretos podem vir a ter de ser apagados, mas só em casos extremos.